Curso de Psicologia promoveu campanha com a temática “O que a Psicologia mudou em você como mulher?”

A campanha foi organizada pelo Curso de Psicologia e realizada com alunas das unidades acadêmicas Antônio Bezerra e Grand Shopping.

 


A campanha aconteceu durante todo o mês de março nas unidades Antônio Bezerra e Grand Shopping 

 

Março é o mês dedicado a todas as mulheres, por ser comemorado em 08 de março o Dia Internacional da Mulher. Por esse motivo, o Curso de Psicologia do Centro Universitário Ateneu promoveu ao longo do mês passado a campanha “O que a Psicologia mudou em você como mulher?”. O objetivo da ação foi apresentar à comunidade acadêmica a importância de uma formação em Psicologia voltada para a ciência psicológica pode trazer mudanças reais em diversas categorias, no caso, a mudança do lugar da mulher. A campanha foi realizada com alunas das unidades Antônio Bezerra e Grand Shopping.

A campanha concedeu a oportunidade das alunas se expressarem através de um relato em texto ou vídeo, cujos os melhores depoimentos foram publicados no perfil do Curso de Psicologia no Instagram (@psicologiauniateneu). Como parte integrante da ação, aconteceu no dia 09 de março nos turnos da manhã e da noite na unidade Grand Shopping o evento intitulado “Nós podemos”, que contou com a presença de psicóloga, assistente social e advogadas. Foi discutido sobre o empoderamento feminino e a participação das mulheres no mercado de trabalho. Na ocasião, houve uma integração entre as alunas dos cursos de Psicologia, Direito e Serviço Social.

Na unidade Antônio Bezerra, houve considerável engajamento das alunas. Foi realizado na manhã do dia 16 de março o evento que teve como tema “Contextos de transformações do feminino”, que contou com a participação de alunas dos cursos de Psicologia e Serviço Social. Na oportunidade, profissionais de diversas áreas estiveram presentes para discutir sobre o lugar da mulher na contemporaneidade. O encontro proporcionou uma experiência marcante para todas as alunas, que puderam ouvir as experiências das profissionais que participaram do evento dentro de cada contexto de trabalho.

Segundo a Coordenação do Curso de Psicologia, a graduação é capaz de mobilizar muitos sentimentos, valores e crenças a partir dos estudos que são apresentamos em cada disciplina. Para as coordenadoras, fazer Psicologia na UniAteneu é ser capaz de mudar de perspectiva quanto ao outro e a si mesmo, por meio da ciência. Na visão delas, a campanha apresentou mudanças reais para as alunas, que se sentem agora empoderadas e conseguem ter uma nova perspectiva do seu lugar na sociedade. No Curso de Psicologia da unidade Grand Shopping, por exemplo, já existem grupos de estudos de alunas que discutem temas da Psicologia relacionados ao feminino, feminismo, gênero, empoderamento, preconceitos, estereótipos e discriminação, de modo que a campanha veio fortalecer tais grupos de estudo.

“A Psicologia possibilitou um encontro com minha identidade feminina, um reflexo sobre a compreensão das representações sociais que nós mulheres nos deparamos na sociedade. Em nossa realidade, nos deparamos com os papeis de mães, filhas, irmãs, esposas, cuidadoras, profissionais, mas há uma necessidade de nos questionarmos quem eu sou como mulher? Que mulher me tornei? Nesse ponto, a Psicologia possibilitou em encontro comigo, uma aproximação com toda a minha existência feminina. Como feminista, estudiosa, pesquisadora e docente na área de gênero, mulheres, famílias e violência, afirmo que a Psicologia possibilita acessar um campo diverso de olhar para outras mulheres e reconhecer quem são, quem somos e quem podemos ser. Atuo com o reconhecimento do processo de autonomia, empoderamento e protagonismo de outras mulheres, e isso me torna mais forte, resiliente e resistente. Não sou uma super mulher, mas somos mulheres surpreendentes e extraordinárias ao lidar com os desafios cotidianos”, afirmou a coordenadora do Curso de Psicologia na unidade Grand Shopping, profª. Ma. Helena Campelo.

“A Psicologia foi capaz de me levar a novos contextos sociais dos quais eu nunca teria tido acesso se não fosse estudante de Psicologia. Foi por meio do curso de graduação, dos estudos e, principalmente, dos estágios que encontrei o lugar da Psicologia Social ainda em crescimento no início dos anos 2000. A vivência dentro de equipamentos de políticas públicas na área da saúde e da assistência social, me permitiram compreender como a mulher consegue (sobre) viver em condições bastante adversas. A resiliência dessas mulheres que são oprimidas diariamente em nossa sociedade e que ainda assim encontram formas de se reencontrem foi uma grande inspiração para mim e para a minha mudança enquanto mulher de uma classe social totalmente diferente delas. Agradeço sempre aos grandes docentes que tive no meu curso que trouxeram toda essa realidade para mim e é dessa forma que eu desejo que todas as alunas do Curso de Psicologia da UniAteneu possam se ver transformadas pela ciência psicológica”, relatou a profª. Ma. Denise Alves, coordenadora do Curso de Psicologia na unidade Antônio Bezerra.

No perfil do Curso de Psicologia no Instagram (@psicologiauniateneu), o internauta pode conferir os relatos das alunas. Veja abaixo o relato escrito pela aluna Maíra de Oliveira, do 6º semestre do Curso de Psicologia da unidade acadêmica Antônio Bezerra:

A Psicologia me resgatou para a vida, para o mundo real. Num momento em que eu achava que já sabia muita coisa da vida, a Psicologia veio para bagunçar todos os meus saberes, sobre mim, sobre o outro, sobre o mundo. Cada aula, cada experiência generosamente compartilhada pelos professores me impactava com realidades muito além do que eu já tinha acessado ou imaginado estar próximo. Aos poucos, fui me moldando e desconstruindo muita coisa em mim para reconstruir a partir desta ciência encantadora.

Nasci branca, loira, de olhos verdes, sempre fui de classe média e tive acesso a muitas oportunidades em meus 41 anos de vida. Mas ainda que eu tenha me esforçado muito na vida para conquistar cada resultado, percebi ali que sim, eu tinha sido mais privilegiada do que minha a ingênua consciência imaginava. O contato com cada teoria psicológica, com o funcionamento mágico do cérebro humano, com a complexidade da subjetividade tem transformado o meu olhar psicológico, desenvolvido a escuta qualificada e me feito refletir muito sobre o que aprendi até aqui.

Estou na metade do caminho e hoje, como estudante de Psicologia e mulher, pretendo ser num futuro próximo uma profissional ética, acolhedora e responsável para que eu possa devolver à humanidade amor ao próximo, respeito, ser o meio por onde as pessoas se sentirão ouvidas, importantes, seguras, acolhidas e aceitas por alguém que através desta linda missão de ser psicóloga entendeu o quanto a dor e o sofrimento humano precisa muito de quem se importe, de quem busque os caminhos para encontrar o alivio da dor e o resgate do sorriso do outro.

Quero devolver sorrisos, quero aliviar angústias, quero ajudar a encontrar esses caminhos na história única e incrível de cada ser humano para que a vida seja leve e não breve, alegre e não triste, com amor e não com dor. A Psicologia fez de mim alguém que eu não sabia que existia e a sua beleza me transforma todos os dias.

Maíra de Oliveira – Aula do 6º semestre do Curso de Psicologia da UniAteneu da unidade acadêmica Antônio Bezerra

Publicada: 02/04/2020 às 16h30min